Triagem neonatal: os exames que garantem mais saúde para o seu bebê

Saiba mais sobre os principais exames de triagem neonatal do Brasil

Nada é mais importante para uma mãe do que a saúde do seu filho, não é mesmo?

Por isso, exames de triagem neonatal são imprescindíveis. Logo após o nascimento, eles verificam se o bebê possui certas doenças. Com um diagnóstico precoce, os tratamentos se tornam muito mais eficazes e as chances da criança se desenvolver de forma saudável aumentam significativamente.

Teste do Pezinho

Um dos exames de triagem neonatal mais conhecidos no Brasil é o Teste do Pezinho. Ele chegou ao Brasil na década de 70 para identificar duas doenças em recém-nascidos: a fenilcetonúria e o hipotireoidismo congênito. Em 1992, tornou- se obrigatório em todo o território nacional.

O Teste do Pezinho é feito com uma amostra de sangue, preferencialmente entre o terceiro e o quinto dia de vida do bebê. Hoje, sua versão mais básica conta com mais quatro doenças, além das duas já citadas: deficiência de biotinidase, fibrose cística, anemia falciforme e hiperplasia adrenal congênita.

Em sua versão ampliada, o Teste do Pezinho chega a diagnosticar até 60 doenças

Outros exames de triagem neonatal

Além do Teste do Pezinho, todos os bebês que nascem no Brasil têm o direito de fazer outros quatro exames de triagem neonatal.

  • Teste da Orelhinha: verifica se há algum tipo de deficiência auditiva;
  • Teste do Olhinho: verifica se há algum tipo de deficiência visual;
  • Teste do Coraçãozinho: verifica se há algum tipo de cardiopatia, ou seja, de doença relacionada ao coração.
  • Teste da Linguinha: verifica se há problemas no freio da língua, que podem prejudicar a amamentação ou comprometer o ato de engolir, mastigar e falar.

É recomendado que todos esses testes sejam realizados ainda na maternidade, preferencialmente até o terceiro dia de vida do bebê.

meuDNA Bochechinha

Em 2017, um novo exame de triagem neonatal foi lançado: o Teste da Bochechinha, hoje também conhecido como meuDNA Bochechinha. 

Desenvolvido pela Mendelics, maior laboratório de sequenciamento genético da América Latina, esse teste é diferente dos outros que explicamos acima porque é genético. Isso significa que ele analisa o DNA do bebê para descobrir se existem alterações em genes que possam levar ao desenvolvimento de doenças. 

O exame detecta mais de 320 condições e pode ser feito desde o primeiro dia de vida até o bebê completar um ano de idade. Todas as doenças que o meuDNA Bochechinha identifica podem ser tratadas ou até prevenidas, ou seja, os pais terão como adotar medidas para garantir mais saúde e qualidade de vida para a criança.

meuDNA Bochechinha x Teste do Pezinho

O objetivo do meuDNA Bochechinha é complementar, e não substituir, o Teste do Pezinho. Como algumas doenças têm causas não genéticas, elas não são identificadas com o meuDNA Bochechinha. Por outro lado, o meuDNA Bochechinha consegue detectar centenas de doenças que não podem ser diagnosticadas com as triagens neonatais que não são genéticas.

Veja abaixo as principais diferenças entre os testes.

Doenças raras, mas importantes

O meuDNA Bochechinha é feito com uma amostra de saliva que pode ser coletada em casa pelos próprios pais. Tudo que eles precisam fazer é passar um cotonete especial do teste na parte interna da bochecha do bebê e enviar a amostra para o laboratório.

Lá, a amostra é analisada com a técnica de sequenciamento genético mais moderna disponível hoje no Brasil, chamada de Exoma. Ela lê mais de 30 milhões de letras do DNA em 20 mil genes buscando possíveis alterações que estejam relacionadas ao desenvolvimento de condições de saúde. 

Embora muitas delas sejam doenças raras se consideradas individualmente, o conjunto delas resulta em uma chance que não pode ser desprezada. Por isso, o fato do meuDNA Bochechinha analisar centenas dessas doenças o torna ainda mais importante.

Para conhecer mais sobre o exame e todas as condições que ele identifica, acesse nosso site.

Deixe uma resposta

You May Also Like