Doenças silenciosas: perigo escondido para a saúde

Um par de mãos sendo esfregadas uma na outra, como se estivesse bolando um plano sorrateiro

Da primeira infância à vida adulta, muitas doenças acometem a saúde de forma sorrateira, sem dar muitos indícios. As doenças silenciosas não causam sintomas aparentes no início, mas continuam progredindo e quando são detectadas já estão avançadas e comprometeram o funcionamento do organismo.

Conheça algumas doenças silenciosas e descubra como é possível detectá-las.

Atenção em todas as fases da vida

Em todas as idades há doenças silenciosas que podem causar prejuízos à saúde se não forem detectadas precocemente.

Primeira infância

As doenças da primeira infância, caso não sejam tratadas adequadamente, comprometem o desenvolvimento motor e/ou cognitivo da criança. Os Erros Inatos do Metabolismo, por exemplo, fazem parte de um grupo de doenças silenciosas de causas genéticas que acometem bebês. Nesses casos, as enzimas, responsáveis por transformar substâncias, não funcionam corretamente. 

O resultado é o acúmulo ou a falta da substância no corpo. No início, o excesso ou falta da substância pode não causar nenhum sintoma, mas com o passar do tempo, o excesso pode se tornar tóxico e a falta impede o desenvolvimento adequado.

Adultos

Em adultos, exemplos de doenças silenciosas são o câncer e o colesterol alto. A maioria dos cânceres não causa sintomas, até que já estejam mais avançados. Por isso há recomendações médicas de rastreamento específicas dependendo da idade, histórico clínico e histórico familiar de câncer.

Já o alto nível de colesterol pode ser detectado por exames de sangue, mas não há sintomas relacionados a essa condição. Porém, se não for tratado, pode levar ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares, como infarto e Acidente Vascular Cerebral.

Principais causas das doenças silenciosas

Algumas doenças silenciosas ocorrem por fatores ambientais, como infecções e hábitos de vida (como alimentação e nível de atividade física), enquanto outras possuem causas genéticas.

Em relação às doenças silenciosas de causas genéticas, é intuitivo pensar que elas estão na família. De fato os fatores genéticos estão presentes em outros membros da família, mas nem sempre a doença se manifesta. Ou seja, essas doenças podem estar escondidas na família e um novo integrante pode vir a ter uma doença silenciosa genética mesmo que ela não tenha sido identificada antes em outro familiar.

Isso acontece com as doenças genéticas com padrão de herança recessivo, em que os pais apresentam alterações genéticas, mas também possuem uma cópia do gene saudável. Assim, acontece uma compensação e o resultado é o funcionamento normal do organismo.

árvore genealógica com doença de padrão de herança recessivo
Portadores são pessoas que possuem uma cópia alterada do gene e uma cópia saudável e por isso não desenvolvem a doença. Quando a pessoa recebe uma cópia alterada de cada um dos pais, e nenhuma saudável, ela é afetada pela doença (em verde).

Porém, quando uma pessoa recebe duas cópias do gene alteradas, uma do pai e outra da mãe, o organismo não consegue funcionar corretamente. Por isso existem triagens que investigam a predisposição para desenvolver doenças antes mesmo delas aparecerem.

Doenças silenciosas, mas não invisíveis

O diagnóstico de doenças silenciosas é feito através de exames de rastreamento, comumente chamados de “exames de rotina” ou check-ups. Mas você sabia que é possível identificar o risco a essas doenças, antes mesmo delas se desenvolverem?


As predisposições a doenças silenciosas de causas genéticas podem ser identificadas através de testes genéticos. Quanto antes a predisposição à doença for identificada, mais eficientes são os tratamentos disponíveis e menor o risco de consequências graves.

mãos se abrindo com um DNA dentro

Os testes genéticos estão disponíveis tanto para adultos quanto para bebês. No caso de adultos, é possível identificar a predisposição genética a diversos tipos de câncer e ao colesterol alto familiar.

Já para os bebês existem exames de triagem neonatal para detectar doenças silenciosas antes da manifestação de sintomas. Entre as triagens, o meuDNA Bochechinha identifica mais de 320 doenças genéticas tratáveis.

A análise do meuDNA Bochechinha é feita pelo sequenciamento de DNA do bebê para identificar possíveis mutações. O teste pode ser realizado desde o primeiro dia de vida até 1 ano de idade, e basta uma amostra de saliva: a coleta dura apenas 1 minuto e é feita em casa, pelos próprios pais. É um processo rápido e indolor, que pode garantir uma vida com mais saúde. Conheça o meuDNA Bochechinha e proteja a saúde do seu bebê!

Deixe uma resposta

You May Also Like