A medicina de precisão promove mais saúde

representação de pessoas com variações genéticas e com indicação de tratamentos diferentes

Saiba qual o papel da genética na medicina de precisão e como essa abordagem aumenta a qualidade de vida.

É provável que você já tenha conversado com amigos e familiares sobre como vocês reagem de forma diferente a doenças ou a medicamentos. Essas diferenças refletem as variações genéticas, de ambiente e de estilo de vida entre as pessoas. 

A medicina de precisão, ou medicina personalizada, é a abordagem individualizada de acompanhamento e tratamento para cada paciente, de acordo com as suas características específicas. Dessa forma, identificar os fatores que influenciam a variabilidade entre as pessoas ajuda a tornar os cuidados médicos mais personalizados e eficazes.

O DNA de cada pessoa é único

As variações genéticas, também chamadas de variantes, são as diferenças no DNA entre as pessoas. Elas são responsáveis por alterações na forma ou no funcionamento de uma proteína que, por consequência, estão associadas à aparência física, à forma como o organismo responde a medicamentos, ao risco de desenvolver doenças e até mesmo à suscetibilidade a infecções.

Estudos populacionais, ao avaliar marcadores genéticos em associação com quadros clínicos, aumentam o conhecimento do impacto de certas variações genéticas na predisposição de desenvolver doenças. Em alguns casos, é possível até mesmo estimar a gravidade da doença. 

Já o campo da farmacogenética usa as informações genéticas para predizer como o organismo metaboliza e reage a um medicamento. Assim, um teste genético pode auxiliar na indicação de qual o melhor remédio, e qual dosagem mais apropriada, para cada pessoa. 

ilustração de comprimidos com molécula de DNA dentro

Com isso, os tratamentos que seriam mais genéricos tornam-se mais específicos e assertivos. Diferentemente da “tentativa e erro”, essa abordagem proporciona um tratamento eficaz mais rapidamente ao paciente. Os tratamentos também tornam-se mais seguros, pois evitam efeitos colaterais que são previstos a partir da genética.

A medicina de precisão já é utilizada em áreas como a psiquiatria, a oncologia e no diagnóstico e tratamento de doenças raras. No caso de pacientes com câncer, tanto as mutações no DNA do tumor, quanto as variações no DNA do paciente, são analisadas para indicar o tratamento mais eficaz e com menos efeitos colaterais.

O futuro (próximo) da medicina de precisão

Para o avanço das pesquisas na área da genética, o aumento dos bancos de dados, tanto em volume de informações, quanto em diversidade, são essenciais. A comunidade científica já caminha nessa direção, unindo esforços em colaborações, e promovendo iniciativas a fim de melhorar a diversidade étnica nos bancos. 

ilustração de várias pessoas ao ar livre com um DNA acima da cabeça de cada um representando os dados genéticos

Nos próximos anos, espera-se que também haja aumento da disponibilidade de dados clínicos, provenientes de prontuários eletrônicos da área diagnóstica, e também de dispositivos usados pelas próprias pessoas (como relógios que realizam monitoramento de saúde). A quantidade de dados genéticos nos bancos também será maior, à medida que os custos de sequenciamento de DNA ficam cada vez menores e a genética está cada vez mais presente na rotina clínica. 

A medicina personalizada será capaz de ir além do diagnóstico de doenças raras e estimar, com maior exatidão, o risco a doenças comuns, como doenças cardíacas e diabetes. Unindo uma grande quantidade de dados clínicos e genéticos, as pesquisas poderão encontrar ainda biomarcadores úteis para auxiliar no diagnóstico de outras pessoas. 

Será possível também classificar as doenças em mais subgrupos, o que permite abordagens clínicas mais específicas para cada um deles.

Nesses cenários, espera-se diagnosticar um maior número de pessoas com doenças de mesma causa genética, abrindo caminho para estudos clínicos que proporcionem o desenvolvimento de medicamentos e tratamentos.

O futuro (ainda mais próximo) da medicina de precisão

Sim, o futuro chegou! Você já pode conhecer o que seu DNA diz. O meuDNA Saúde é o teste genético que analisa os genes por completo, para identificar a predisposição a diversos tipos de câncer hereditários e outras condições, como colesterol alto familiar. Identificar o risco permite que, junto com seu médico, você tome ações específicas para cuidar da sua saúde!

Deixe uma resposta

You May Also Like