São Paulo: um retrato do mundo

Ilustração do piso com a padronagem de São Paulo e pessoas andando por ele

A cidade de São Paulo, que comemora 468 anos no próximo dia 25 de janeiro, representa bem a diversidade encontrada no DNA brasileiro e possui as marcas da miscigenação espalhadas pelos seus bairros, festas e em seu povo. 

A gastronomia tão conhecida na capital paulista carrega história, vai desde o prato-feito que tem elementos de diferentes culturas, até restaurantes típicos da culinária portuguesa, italiana, espanhola, japonesa, entre tantas outras. 

Já as festas e os bairros carregam tradições de todos os povos que vieram, e continuam vindo, para deixar a cidade cada vez mais rica e diversa. Conheça a seguir algumas das culturas e tradições encontradas na cidade de São Paulo.

Leste europeu paulistano: entenda essa variação genética

A Vila Zelina é o centro de imigrantes do Leste europeu, incluindo a comunidade lituana: São Paulo é a segunda cidade com maior número de lituanos fora da Lituânia, atrás somente de Chicago, nos Estados Unidos.

No bairro, a Associação de Moradores e Comerciantes do bairro Vila Zelina (AMOVIZA) realiza feiras culturais do leste europeu com comidas e artesanatos típicos da Bulgária, Hungria, Polônia, Rússia, Lituânia e outros países da região.

Na ponta da língua: da gastronomia ao sotaque italiano

Entre os principais destinos dos imigrantes italianos no final do século XIX e início do século XX estavam as fazendas de café paulistas, mas houve também um fluxo “não-oficial” para as cidades, incluindo São Paulo e Rio de Janeiro.

Bixiga, Mooca e Lapa são bairros paulistanos que conservam tradições como feiras, festas e gastronomia típica. A Festa da N. Sra Achiropita, considerada a maior festa italiana no Brasil, acontece anualmente no bairro do Bixiga. 

Mas em todos os cantos da cidade é possível encontrar trattorias, osterias e cantinas italianas. Comer uma boa massa, pizza, cannoli ou degustar um pão italiano com vinho são formas de se aproximar de uma das culturas que mais influenciou o estilo de vida não só da capital paulistana, mas de grande parte do nosso país. 

Entre tantas heranças, o sotaque dos colonos italianos foi uma delas: o “r” vibrante, que treme atrás dos dentes, é marca registrada no sotaque paulistano.

Apreciar a cidade: das flores aos festivais japoneses

O Brasil abriga a maior comunidade japonesa fora do Japão: são cerca de 1,6 milhão de japoneses imigrantes e descendentes. 

Em São Paulo, a partir de 1912, grupos de imigrantes japoneses começaram a residir na ladeira Conde de Sarzedas e as redondezas passaram a atrair japoneses que deixavam o campo. 

A comunidade cresceu e deu origem ao Bairro da Liberdade, que reúne feiras, lojas e restaurantes típicos, além do Festival do Japão, um dos maiores eventos da cultura japonesa no mundo, com exposições, shows, tradições e comidas das 47 províncias do Japão. 

Hanami é uma antiga tradição japonesa de apreciar a beleza delicada e breve das flores, especialmente das cerejeiras, no começo da primavera. No Parque do Carmo, zona leste da cidade de São Paulo, há monumentos à imigração japonesa e também acontece anualmente a Festa das Cerejeiras para contemplar a árvore-símbolo do Japão.

Conheça suas origens

Assim como a cidade de São Paulo, somos todos uma grande mistura de povos. Sabia que é possível descobrir as raízes da sua família, com uma simples amostra de saliva?

O meuDNA Origens é um teste de ancestralidade desenvolvido para revelar de quais regiões do mundo vieram seus antepassados. Nós analisamos seu DNA e comparamos com um banco de dados que contém informações de 88 populações. Observando quais marcadores genéticos destes povos estão presentes no seu material genético, podemos saber qual a sua ancestralidade. Conheça o teste!

Publicado por Juliana Gomes

Juliana Gomes é bióloga, mestre em ciências e já foi empresária. Quando era pequena queria ter feito biologia marinha, mas acabou mergulhando mesmo no mundo das células e do DNA.

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Sair da versão mobile