Folclore brasileiro: quais lendas você conhece?

ilustração com personagens de algumas das principais lendas do folclore brasileiro: saci pererê, cuca, pisadeira e iara
O folclore brasileiro é uma fusão de culturas. Conheça a origem de algumas das diversas lendas do Brasil no blog meuDNA diz!

O que é folclore

Folclore é um termo que representa um conjunto de manifestações culturais e tradições de um povo que são transmitidas entre gerações.  

A palavra folclore foi cunhada pelo escritor britânico William John Thoms, através da união de vocábulos ingleses, folk, que significa gente ou povo, e lore, que significa conhecimento. William usou a palavra pela primeira vez em uma carta enviada para a revista londrina The Atheneum no dia 22 de agosto de 1846.  

Desde então, a palavra passou a carregar as marcas da identidade social de um povo e , em 1951, o dia 22 de agosto foi escolhido para celebrar o Dia do Folclore no Brasil.

Folclore: características e divulgadores 

Embora alguns pesquisadores questionem algumas características, o folclore carrega quatro principais pilares: origem anônima, transmissão oral, espontaneidade em sua formação e popularização coletiva.

Johann von Herder e os irmãos Grimm foram pioneiros ao agrupar histórias populares e estudar o folclore.  Heder era um filósofo alemão que registrou e analisou as línguas germânicas durante o período em que a Alemanha começava a emergir como uma entidade política. Ele tinha particular interesse em canções, contos e costumes germânicos tradicionais transmitidos por pessoas comuns que viviam estilos de vida simples.  

Já os irmãos Jacob  e Wilhelm Grimm eram escritores alemães que dedicaram suas vidas a coletar e registrar histórias populares que incluíam um reflexo da identidade cultural alemã da época. Muitas delas viraram contos de fada que escutamos quando crianças como Chapeuzinho Vermelho, Bela Adormecida e João e Maria.

No Brasil, embora vários escritores regionais tenham registrado contos e lendas populares em livros, Monteiro Lobato foi o grande expoente da disseminação de lendas e histórias pelo continente nacional.  Insatisfeito com as traduções de livros europeus para crianças, Lobato criou aventuras com figuras folclóricas brasileiras, recuperando costumes da roça e lendas nacionais.

Folclore brasileiro e diversidade

As diversas tradições culturais e artísticas que caracterizam o folclore estão presentes na música, dança, vestuário, lendas, entre outros. No caso do Brasil, país formado por uma diversidade de povos, o folclore é uma fusão de manifestações indígenas com crenças europeias, africanas e até asiáticas

Quando se trata de lendas, as narrativas de origem popular, difundidas principalmente de forma oral, carregam histórias que expressam fantasias, medos, dúvidas e incompreensões dos povos que as criaram. Cada região do Brasil possui lendas próprias ou versões diferentes da mesma história misturando fantasia e fatos históricos.

Conheça abaixo a história e a origem de algumas das diversas lendas populares do Brasil.

Saci Pererê 

Saci é considerado uma figura brincalhona, que vive fazendo travessuras, cria dificuldades domésticas e  assusta pessoas com seus assovios. Ele é um menino negro que possui apenas uma perna, fuma cachimbo e usa um gorro vermelho na cabeça que é o fruto de seus poderes.

O termo Saci é derivado do tupi Saci, Matimpererê ou Martim-pererê e significa tudo relacionado a um pássaro. Muitos historiadores indígenas relatam que o Saci era uma entidade protetora da floresta. 

A influência europeia da lenda está relacionada à presença do gorro vermelho com poderes. O objeto é encontrado na lenda portuguesa dos trasgos, seres rebeldes de pequena estatura que possuem um capuz vermelho com poderes sobrenaturais. 

O componente africano do Saci está presente na lenda do povo Iorubá que descreve Aroni, um gnomo de uma perna só, que ensina a Oçânhim, orixá das folhas sagradas e ervas medicinais, sobre o uso das plantas.

Saci pererê, um menino negro de uma perna só que fuma cachimbo

Cuca

Uma das primeiras figuras do folclore brasileiro, a Cuca pode ser considerada a versão feminina do Bicho Papão. Trata- se de uma bruxa que sequestra e devora crianças e assume a forma de uma mulher velha ou de uma feiticeira com cabeça de jacaré.  Em algumas versões, a Cuca pode se transformar em animais como corujas e mariposas para se aproximar das pessoas sem ser percebida.

Sua  origem provavelmente está vinculada à lenda ibérica da Coca (ou Coco) que, assim como a versão brasileira, sequestra crianças e também assume diversas formas.

Cuca, uma mistura de mulher com corpo e cabeça de jacaré, preparando uma poção em um caldeirão

Iara

Iara,  também chamada de mãe d’água, é uma lenda popular da região norte do Brasil. Ela é uma linda sereia que mora dentro de um rio e encanta homens através de seu canto. 

A lenda diz que Iara era filha de um pajé e possuía grandes habilidades como guerreira e por isso causava inveja em seus irmãos. Certo dia, eles tentaram matá-la, mas Iara lutou bravamente e os matou. 

Com medo da reação de seu pai e da tribo, Iara fugiu, mas foi capturada pelo seu pai, que a jogou no rio. Os peixes a salvaram e a transformaram em sereia em uma noite de lua cheia. Desde então, Iara passou a enfeitiçar homens através de seu canto e afogá-los nas águas do rio.

Embora a  lenda de Iara traga elementos indígenas, segundo o folclorista Luís da Câmara Cascudo, nenhuma lenda indígena retratava os elementos que marcam a história de Iara, principalmente a menção à sereia, até o século XVII. 

Acredita-se que esse e outros elementos foram introduzidos pelos portugueses, pois diversos sinais da lenda estão presentes no folclore europeu: sereias gregas e mouras encantadas (seres fantásticos com poderes sobrenaturais do folclore ibérico). 

A lenda também carrega uma certa associação com a cultura africana através da representação de Iemanjá, um orixá conhecido como rainha das águas, que algumas vezes é representada como uma sereia.

Iara, metade mulher, metade sereia, sentada em uma pedra de um lago

Pisadeira

A Pisadeira retrata uma criatura que atormenta as pessoas à noite. Ela é uma mulher magra com ossos aparentes que ataca durante a madrugada pisando sobre o estômago daqueles que comem muito antes de dormir. Durante o ataque, o corpo da vítima fica temporariamente paralisado e a pessoa não consegue se mover, pois o cérebro desperta, mas o corpo não.

A Pisadeira é uma lenda popular no sudeste do Brasil, principalmente nos estados de São Paulo e Minas Gerais, e foi relacionada à paralisia do sono, distúrbio caracterizado por uma paralisia temporária do corpo imediatamente após o despertar ou antes de adormecer.

A lenda é comum na cultura oriental, sendo relatada no folclore japonês como Kanashibari (que significa paralisia do sono). Há diferentes versões e nomes da lenda, mas todas são marcadas por uma espécie de força sobrenatural dominante que pressiona o corpo da pessoa durante o sono e impede sua movimentação.

Pisadeira, um mostro sentado em cima de uma pessoa dormindo

Origens

Sejam exclusivamente brasileiras ou com influência de diversos povos, as lendas fazem parte da cultura popular brasileira e são um elemento importante da história do nosso povo. Agora que você sabe a origem de algumas das lendas mais famosas do Brasil, que tal saber mais sobre as suas origens? 

Com o meuDNA Premium você conhece sua ancestralidade genética de 5 a 8 gerações atrás com base em 88 populações espalhadas pelo mundo. Além disso, ele revela sua predisposição a desenvolver doenças genéticas como câncer, colesterol alto e diabetes monogênica!

meuDNA premium

meuDNA Revisa

O que é folclore?

Folclore é um termo que representa um conjunto de manifestações culturais e tradições de um povo que são transmitidas entre gerações

Qual é o dia do folclore?

O Dia do Folclore é celebrado em 22 de agosto, pois remete à data que a palavra folclore foi usada pela primeira vez.

Referências

0 Shares:

Deixe uma resposta

Você também pode se interessar: