Migrações humanas: da África para o mundo

Mapa mostrando rotas de migrações humanas da África para o resto do mundo
Entenda mais sobre algumas das grandes ondas de migração humana que levaram nossa espécie do continente africano para o mundo inteiro.

Cerca de 80 mil anos atrás, grupos de humanos que viviam na África começaram um processo que mudaria para sempre a história da nossa espécie. Apesar de não sabermos exatamente o que os motivou, nossos ancestrais começaram a migrar em direção ao norte. Como resultado, em alguns milhares de anos os humanos povoariam o mundo inteiro: da Ásia e Europa à Oceania e América.

Saiba mais nesse post sobre as grandes migrações humanas e como estudos genéticos ajudaram a desvendar essa história.

Antes das migrações: as origens da espécie humana

Muitas evidências arqueológicas e genéticas mostram que nossa espécie, Homo sapiens, existe há pelo menos 200 mil anos. Na verdade, sabemos por estudos de DNA que todos os humanos vivos hoje são descendentes de uma mulher que viveu na África cerca de 200 mil anos atrás – apelidada de Eva, em referência bíblica. 

O nome, entretanto, não é preciso no sentido de que ela não foi a primeira mulher humana. Na época, muitos outros membros da nossa espécie já existiam e todos viviam no continente africano, berço do Homo sapiens. Por mais de 100 mil anos, acredita-se que nossos ancestrais ficaram restritos ao continente, sobrevivendo através de caça e coleta de alimentos da natureza. 

As primeiras migrações: da África à Ásia

A evidência arqueológica da mais antiga migração humana foi encontrada na década de 1930 em cavernas no território que hoje é Israel. Em 1989, tecnologias permitiram datar os fósseis ali encontrados e mostraram que eles pertenciam a humanos que viveram entre 90 e 100 mil anos atrás. Porém, esta que poderia ser uma das primeiras tentativas de migração da nossa espécie provavelmente não foi bem sucedida, já que não existem outras evidências de que esses humanos sobreviveram por muito mais tempo.

As primeiras ondas migratórias bem sucedidas provavelmente começaram cerca de 80 mil anos atrás, embora muitos aspectos sobre elas ainda não sejam bem conhecidos. O número de pessoas, por exemplo, varia entre mil e 50 mil e a rota que elas tomaram rumo à Ásia pode ter envolvido a Península de Sinai, no Egito, ou o Estreito de Babelmândebe, que liga Djibuti, na África, à Península Arábica.

Mapa mostrando hipóteses sobre as primeiras rotas de migração de humanos para fora do África
Há duas principais hipóteses sobre a rota que os humanos usaram para migrar da África em direção à Península Arábica: através da Península de Sinai, no Egito, ou pelo Estreito de Babelmândebe, que liga Djibuti ao Iêmen. Depois, há um consenso de que eles contornaram o Golfo Pérsico rumo à Índia.

Depois de saírem do continente africano, as teorias mais bem aceitas dizem que o trajeto dos humanos rumo à Ásia permaneceu próximo ao mar, contornando a Península Arábica pelo sul, passando pelo Golfo Pérsico e de Omã até chegar à Índia. A semelhança entre ferramentas feitas a 74 mil anos atrás encontradas no sítio arqueológico de Jwalapuram, na Índia, com ferramentas utilizadas por humanos na África indicam que os mesmos grupos que saíram do continente africado chegaram à Ásia alguns milhares de anos depois.  

Migrações para a Europa

Parte dos humanos que migraram da África foram em direção à Europa, e chegaram ao Velho Continente por volta de 40 mil anos atrás. Evidências indicam que este trajeto foi mais difícil e lento, provavelmente devido ao clima frio e muitas vezes inóspito e a competição com neandertais.

Os neandertais são nossos parentes mais próximos do ponto de vista evolutivo e já habitavam a Europa quando o Homo sapiens chegou lá. Essa espécie humana existiu entre 400 mil e 28 mil anos atrás, quando foram extintos, talvez pela competição com a nossa espécie. 

Mas nem todas as interações entre as duas espécies foram combativas. Estudos genéticos que sequenciaram o DNA de neandertais e o DNA de humanos modernos mostraram que, ainda hoje, alguns de nós têm alguma parcela de DNA neandertal. Os europeus, por exemplo, possuem, em média, cerca de 1,5% a 2% de DNA neandertal. Ou seja, as duas espécies provavelmente cruzaram e geraram descendentes enquanto coexistiram.

Da Ásia à Oceania

Já a parte dos humanos que chegaram à Ásia continuou a migração para o sul. Evidências arqueológicas mostram que humanos modernos já viviam na Austrália e em Papua-Nova Guiné há, ao menos, 45 mil anos. Para sair do continente e chegar a essas ilhas, foi necessária uma viagem de mais de 70 quilômetros pelo mar, o que pode ser considerado um grande feito para a época e mostra a evolução de tecnologias que permitiram a construção de barcos.

Uma vez nas ilhas, a população prosperou. A fartura de alimento e a falta de competição com outros grupos de humanos, como os neandertais, fez com que os humanos modernos aumentassem em número e dessem origem aos aborígenes, os povos nativos da Austrália.

Povoamento das Américas

Grupos humanos também foram para o norte da Ásia. As teorias mais bem aceitas atualmente sugerem que parte deles aproveitou uma ponte que surgiu no Estreito de Bering, entre Rússia e Alasca, devido à diminuição no nível do mar causado pela Era Glacial, para ir para o continente americano. Essas migrações ocorreram entre 30 mil e 12 mil anos atrás, sendo que as evidências mais antigas de humanos nas Américas datam de 15 mil anos.

Mapa mostrando a rota de migração de humanos da Ásia para a América através do Estreito de Bering

A genômica também contribuiu para desvendar as migrações humanas para a América. De acordo com estudos recentes, os descendentes de antigos siberianos e de humanos que habitavam o leste asiático deram origem a duas linhagens: os paleo-siberianos, ancestrais de povos siberianos atuais, e os humanos que migraram para a América. Entre três ondas migratórias diferentes, duas permaneceram na América do Norte e uma continuou para o sul do continente, dando origem aos primeiros brasileiros.

O que a genética diz sobre as suas origens?

Como vimos, a genética pode ajudar em estudos de diversas áreas do conhecimento e revelar muitas informações sobre uma pessoa. Então por que não saber o que a genética diz sobre você e suas origens?

O teste meuDNA Premium inclui o teste de ancestralidade meuDNA Origens, que revela sua ancestralidade de 5 a 8 gerações atrás baseadas em 88 populações espalhadas pelo mundo. E, além disso, revela sua predisposição a desenvolver doenças hereditárias como diferentes tipos de câncer, colesterol alto e diabetes monogênica. Conheça o teste!

meuDNA premium

meuDNA Revisa

Como foi a migração humana da África?

As primeiras migrações humanas para fora do continente africano aconteceram cerca de 80 mil anos atrás. As teorias mais bem aceitas dizem que o trajeto dos humanos rumo à Ásia permaneceu próximo ao mar, contornando a Península Arábica pelo sul, passando pelo Golfo Pérsico e de Omã até chegar à Índia.

Como os seres humanos migraram para outros continentes?

As teorias mais bem aceitas dizem que os humanos chegaram à Ásia cerca de 74 mil anos atrás, na Oceania cerca de 45 mil anos atrás e na Europa cerca de 40 mil anos atrás. No período da Era Glacial, parte dos humanos que habitava a Ásia aproveitou a ponte que surgiu no Estreito de Bering e migrou para o continente americano, há pelo menos 15 mil anos atrás.

Deixe uma resposta

You May Also Like