A origem da festa junina

Pessoas dançando quadrilha em torno de uma fogueira
Saiba mais sobre a história de como uma das comemorações mais tradicionais do Brasil surgiu e foi trazida para o nosso país

É difícil pensar no mês de junho sem lembrar das festas juninas. Além de diversas iguarias como o milho verde cozido, pipoca, quentão, pé de moleque, entre tantas outras, as festas juninas são repletas de tradições como a fogueira, a quadrilha e as roupas típicas. Embora muito influenciada pelos costumes de cada região do Brasil, a festa junina é originária da Europa e foi trazida para o nosso país principalmente por imigrantes portugueses. Saiba mais sobre essa história!

Qual a origem da festa junina?

Ao longo da Idade Média, no hemisfério norte, era comum populações europeias, como os celtas e eslavos, celebrarem a chegada do verão, no mês de junho, com homenagens aos deuses da natureza e da fertilidade para pedir colheitas fartas. Era o período de colher cereais e milho, por exemplo, que hoje é um dos ingredientes mais utilizados na preparação das comidas típicas das festas juninas.

Notando a popularidade das celebrações, a Igreja Católica aderiu às festas que aconteciam no mês de junho, mas deu a elas um caráter religioso. Três santos católicos relacionados ao mês de junho foram escolhidos para serem celebrados nas festas: São João, que teria nascido em 24 de junho; Santo Antônio, que teria morrido em 13 de junho; e São Pedro, martirizado em 29 de junho e considerado o primeiro Papa da Igreja.

Em Portugal, as festas passaram a ser chamadas de Festas Joaninas, justamente devido à São João, santo bastante popular que deu nome a muitos monarcas que reinaram o país.

Origem das festas juninas no Brasil

Com o processo de colonização portuguesa do Brasil, a partir do século XVI, as Festas Joaninas chegaram em nosso país e ganharam o nome de Festas Juninas por serem celebradas no mês de junho. Rapidamente, foram bem aceitas em todo o território nacional e ganharam características típicas em cada uma das regiões, sendo influenciadas por populações indígenas, africanas e de outros países europeus.

Casal vestido com roupas típicas da festa junina

Em muitas regiões do país, por exemplo, é tradição se vestir com roupas caipiras. O costume provavelmente surgiu como referência aos saloios, habitantes de zonas rurais de Portugal que viviam da agricultura. Assim, homens normalmente vestem camisas quadriculadas e calças remendadas com panos coloridos, enquanto as mulheres usam vestidos coloridos, e todos podem colocar o tradicional chapéu de palha.

Tradições das festas juninas

Quadrilha

A quadrilha, hoje uma dança típica das festas juninas, teve sua origem na França no início do século XIX. Originalmente, era chamada de quadrille por ser uma dança de salão para quatro casais, que bailavam em formação retangular.

A quadrilha começou a ser praticada no Brasil pelas classes médias e elites portuguesas, que seguiam os interesses das classes altas europeias. Ao longo do século XIX, porém, a dança se popularizou e se fundiu com outros ritmos brasileiros, o que alterou o formato original da quadrilha.

Pessoas dançando quadrilha

Conforme floresceu no Brasil rural, se tornou uma dança típica das festas juninas, principalmente no Nordeste, onde continuou recebendo influências de costumes nacionais. Hoje, em cada região do país, há diferentes modalidades da quadrilha, entre as quais encontramos: a quadrilha caipira, do interior de São Paulo; o saruê (derivado da palavra francesa soirée, que significa noite), no Brasil Central; e a Mana-Chica, no Rio de Janeiro.

Fogueira e balões 

A fogueira das festas juninas tem origem na antiga tradição pagã de celebrar a chegada do verão e afastar os espíritos ruins. Conforme as festividades ganharam caráter religioso, as fogueiras começaram a ser consideradas atributos à São João e, até hoje, a fogueira de São João é feita em diversos países europeus que celebram a data, como Estônia, Portugal, Finlândia e França.

Já o costume de usar balões e fogos de artifício foi trazido para o Brasil pelos portugueses. Segundo a tradição popular, eles eram usados para despertar São João. Em Portugal, pequenos papéis com desejos e pedidos ao santo eram atados aos balões na esperança de que fossem atendidos. Atualmente, os balões são proibidos por lei no Brasil devido ao risco de causar incêndios e mortes, e a tradição acabou sendo substituída por pequenas bombinhas que podem ser soltas até por crianças e que ganharam diferentes nomes dependendo da região do país, entre eles: “treme-terra”, “rojão”, “buscapé”, “cobrinha”, “espadas-de-fogo”, “chuvinha”, “pimentinha”, “biribinha” e “bombinha”.

Descubra suas origens também!

Assim como a festa junina, o povo brasileiro é uma mistura de diversas culturas, povos e tradições. Somos uma das populações mais miscigenadas do mundo, com influências de nativos americanos, africanos, europeus, asiáticos, entre outros.

Para saber mais sobre quais povos fazem parte da sua história, por que não fazer um teste genético? O meuDNA Premium, com uma simples amostra de saliva, lê o seu DNA e consegue dizer quais, dentre 88 povos espalhados pelo mundo, fazem parte da sua ancestralidade, além de revelar sua predisposição a diversas doenças genéticas. Conheça o teste!

meuDNA premium

meuDNA Revisa

Qual é a origem das festas juninas?

As festas juninas têm origem pagã, pois começaram quando povos europeus celebravam a chegada do verão, no mês de junho, com homenagens aos deuses da natureza e da fertilidade para pedir colheitas fartas. 

Onde e quando surgiu a festa junina?

Acredita-se que as festas juninas tenham surgido ao longo da Idade Média na Europa.
A festa junina foi trazida para o Brasil a partir do século XVI, principalmente pelos portugueses durante o processo de colonização.

Deixe uma resposta

You May Also Like