Origem do Câncer

Carcinogênese

Entenda mais sobre o câncer e como ele é formado.

Se perguntarmos para uma multidão de 10.000 pessoas: Levante a mão quem conhece alguém que já teve algum tipo de câncer

Provavelmente, quase todas as pessoas levantarão a mão! 

No Brasil, espera-se que entre 2020-2022 sejam diagnosticados 625 mil casos novos de câncer segundo o Instituto Nacional de Câncer. O câncer é considerado a segunda maior causa de morte no mundo e cerca de 10 milhões de pessoas morrem por conta da doença todo ano. 

Mas, por que essa doença é tão frequente?

Um dos principais motivos é que o ser humano está vivendo mais. Para você ter uma ideia, a expectativa de vida na época do Império Grego e Romano girava entre 30 a 40 anos, e hoje chega aos 76 anos no Brasil! Ou seja, no período que as pessoas estavam morrendo no passado, hoje elas estão começando a ter filhos.

Antigamente, a mortalidade estava relacionada principalmente a acidentes e doenças infecciosas e viroses, como a gripe. Com o tempo, a sociedade humana aprendeu muito sobre educação sanitária e entendeu a causa de diversas doenças, passando a tratá-las e evitá-las. Com isso, passamos a viver mais.

Ok! E o câncer, o que ele tem a ver com as pessoas viverem mais?

O câncer é uma doença genética que modifica o ciclo de vida celular (nascer-> realizar suas funções -> se reproduzir -> morrer). 

Nosso corpo tem cerca de 10 trilhões de células que formam nossos tecidos e órgãos. A maior parte delas precisa ser renovada de tempos em tempos, e a cada divisão celular o DNA precisa ser copiado para a informação genética ser passada adiante.

Acontece que toda vez que o DNA é copiado, alguns erros (mutações) ocorrem. A maioria das mutações são corrigidas pelos mecanismos de reparo celular, mas outras passam despercebidas e vão se acumulando no DNA. 

Imagine esse processo acontecendo todos os dias, e pense no número de mutações que uma pessoa com 70- 80 anos deve ter? Provavelmente muitas!

Cerca de 98% do nosso DNA é chamado de não codificante (DNA lixo) e por ser o mais abundante, a maior parte das mutações ocorre nesta porção do DNA, contudo, a maioria delas não tem efeito biológico. Já as mutações que ocorrem no DNA codificante, aquele que codifica proteínas, podem ter um impacto importante para o funcionamento celular.

Formação do câncer

Para o funcionamento normal do ciclo celular, existem proteínas que promovem o crescimento, elas agem como o acelerador de um carro. Já outras proteínas, chamadas de supressoras de tumor, agem como os freios e inibem o crescimento. Para a “condução celular” adequada é fundamental termos um equilíbrio entre essas proteínas.

Em células normais o nome dos genes do acelerador são chamados de proto-oncogenes. Quando os proto-oncogenes sofrem uma mutação, eles passam a ser chamados de oncogenes, e o efeito dessas mutações fazem que o carro fique completamente descontrolado e um acidente (câncer) está prestes a acontecer.  Nesse momento, a célula usa o recurso dos freios! Ela ativa genes que forçam a célula a parar de se dividir, assim o acidente não acontece. 

Além disso, há outro participante fundamental impedindo o acidente, o sistema de alerta de falhas do  painel do veículo (genes de reparo, como os genes BRCA1 e BRCA2). Quando as proteínas codificadas pelos genes de reparo percebem que há algum problema nos freios ou aceleradores, elas interrompem o ciclo celular e corrigem as funções desreguladas.

Mutações que ocorrem nos genes do painel geram uma cascata de mutações em outros genes, pois a célula perde a capacidade de perceber o erro e repará-lo. As mutações que acontecem em genes-chave do controle do ciclo celular ou em genes que produzem proteínas de reparo do DNA são as principais responsáveis pela iniciação do câncer.  

O acúmulo de mutações em vários genes causa a perda do controle da multiplicação natural nas células normais e elas passam a ignorar todos os sinais de morte celular, tornando-se células cancerígenas.  Assim, mesmo a célula tumoral já estando velha e com poucos recursos internos para sobreviver, ela continua se dividindo indiscriminadamente.

O que você pode fazer para prevenir o câncer

As mutações relacionadas ao envelhecimento ocorrem naturalmente com as divisões celulares e não podem ser evitadas, contudo, alguns hábitos são nossos aliados para diminuir o risco de câncer.

Primeiramente, você pode evitar os fatores externos que causam mutação, como eliminar o consumo de cigarros e cachimbos, diminuir o consumo de bebidas alcoólicas, usar protetor solar e ter uma alimentação balanceada e saudável.

Além disso, o diagnóstico precoce é fundamental no combate ao câncer. Realizar visitas regulares ao médico e exames periódicos como o preventivo do colo do útero e mamografias nas mulheres e o exame físico da próstata em homens.

Testes genéticos, como o meuDNA Saúde, são mais uma possibilidade de investigar o risco de aparecimento de tumores, mesmo antes deles ocorrerem. Com a análise do DNA você pode descobrir se possui mutações que aumentam a predisposição de desenvolver tumores. 
Assim, juntamente com o médico, você poderá definir estratégias preventivas personalizadas para você e toda a sua família. O teste genético meuDNA Saúde verifica a presença de alterações genéticas que podem aumentar o risco de se desenvolver alguns tumores hereditários e outras doenças genéticas tratáveis.

1 comment

Deixe uma resposta

You May Also Like