Câncer de estômago: quais as causas e sintomas?

Saiba mais sobre as causas genética e ambientais, os sintomas e como se prevenir de um dos tipos mais comuns de câncer no Brasil e no mundo.

Quando pensamos em câncer, a maior parte das pessoas provavelmente pensa nos tipos mais comuns: câncer de mama, de pele (não melanoma), de próstata ou de pulmão. Mas, apesar de não tão divulgado quanto esses, o câncer de estômago é o terceiro que mais afeta homens e o quinto que mais afeta mulheres no Brasil.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), apenas em 2020 mais de 20 mil novos casos de câncer de estômago foram registrados no país, resultando em cerca de 14 mil mortes. A alta taxa de mortalidade preocupa, mas o câncer de estômago pode ser prevenido e tratado. 

Saiba mais sobre os sintomas, as causas, os fatores de risco e a genética do câncer de estômago.

Quais os sintomas do câncer de estômago?

Os principais sintomas do câncer de estômago são:

Sintomas do câncer de estômago

Como muitos dos sintomas do câncer de estômago são comuns a outras doenças, é importante sempre consultar um médico especialista para determinar a causa dos sintomas.

Quais as principais causas do câncer de estômago?

O câncer de estômago, também chamado de câncer gástrico, pode ser causado por fatores genéticos, como mutações, ou ambientais, como alimentação e estilo de vida.

Entre os fatores ambientais, estudos mostraram que a obesidade, o consumo excessivo de álcool, de sal e o tabagismo estão associados a uma maior chance de desenvolvimento do câncer de estômago.

Entretanto, muitos consideram o principal fator de risco não genético a esse tipo de câncer a infecção pela bactéria Helicobacter pylori, ou H. pylori. Pesquisas sugerem que essa bactéria está presente em cerca de metade da população mundial, mas na maioria dos casos não causa sintoma algum. Mas, em algumas pessoas, a bactéria se aloja no estômago e corrói o seu muco protetor, o que pode causar úlcera e gastrite. Em 5% dos contaminados, ela pode causar uma inflamação crônica no estômago que, com o tempo, pode evoluir para um câncer. 

A H. pilory é contraída através da ingestão de alimentos ou bebidas contaminados, e causa sensação de barriga inchada, queimação no estômago, perda do apetite, enjoos e vômitos. Consultando um médico especialista, é possível diagnosticar a doença e tratá-la, o que, além de melhorar os sintomas, irá ajudar na prevenção do câncer de estômago.

H. pylori e o câncer de estômago nos Estados Unidos

Até o final da década de 1930, o câncer de estômago foi a principal causa de morte por câncer nos Estados Unidos. Hoje, porém, o câncer de estômago representa apenas 1,5% dos novos casos de câncer diagnosticados no país.

De acordo com a Sociedade Americana de Câncer, uma das principais explicações para essa diminuição no número de casos é a diminuição do número de pessoas infectadas pela bactéria H. pylori e o melhor tratamento das infecções quando elas acontecem.

Causas genéticas do câncer de estômago

Além dos fatores ambientais que aumentam as chances do desenvolvimento do câncer de estômago, algumas pessoas já nascem com mutações genéticas e estão mais propensas a ter esse tipo de câncer ao longo da vida.

Estudos mostraram que a probabilidade de uma pessoa ter câncer de estômago na população geral é de 1%, mas em pessoas que possuem alterações no gene CDH1, por exemplo, esse número pode aumentar para até 70%.

Mutações no gene CDH1 aumentam as chances do câncer de estômago para até 70%

O gene CDH1 é responsável por produzir a proteína caderina epitelial, que recobre as cavidades do nosso corpo e faz com que as células fiquem mais juntas. A proteína regula a proliferação das células, o que evita que elas se multipliquem de forma descontrolada e gere um tumor cancerígeno.

Pessoas que possuem mutações no gene CDH1 não produzem essa proteína, ou a produzem em quantidades insuficientes, o que aumenta as chances da formação de tumores e câncer.

O câncer de estômago é hereditário?

Quando o câncer de estômago é causado por mutações que são passadas de uma geração para outra, ele é hereditário. No caso de alterações no gene CDH1, há 50% de chance da mutação ser passada de um pai ou uma mãe para seus filhos.

É importante ressaltar que ter a mutação não significa, necessariamente, que o câncer se desenvolverá; apenas que há uma chance maior em relação à quem não tem essa alteração. Por isso, descobrir com antecedência se você é portador desta ou de outra mutação pode ajudar na prevenção da doença e no diagnóstico precoce caso ela, de fato, venha a surgir, o que aumenta as chances de cura e de tratamentos bem sucedidos.

Previna-se de doenças genéticas e hereditárias

Com o meuDNA Premium, é possível saber se você possui mutações associadas não apenas ao câncer de estômago, mas também a outras doenças genéticas hereditárias, como câncer de mama, câncer de próstata, diabetes monogênica e colesterol alto.

O teste também revela sua ancestralidade, de 5 a 8 gerações atrás, baseada em até 88 povos espalhados pelo mundo. Conheça o teste!

meuDNA premium

meuDNA Revisa

O que provoca o câncer de estômago?

O câncer de estômago pode ter causas genéticas e ambientais. A causa genética mais frequente são mutações no gene CDH1. Fatores ambientais que aumentam as chances de câncer de estômago incluem obesidade, consumo excessivo de álcool e de sal, tabagismo e infecção pela bactéria H. pylori.

Quais os sintomas do câncer de estômago?

Os principais sintomas do câncer de estômago são dor de estômago, azia e má digestão, dificuldade para engolir e refluxo, inchaço no abdômen, náusea e vômitos, perda de apetite, diarreia ou prisão de ventre e perda de peso inexplicável.

O que provoca a infecção por H. pylori?

A H. pilory é contraída através da ingestão de alimentos ou bebidas contaminados.

Quais os sintomas da infecção por H. pylori?

Os principais sintomas da infecção por H. pylori são sensação de barriga inchada, queimação no estômago, perda do apetite, enjoos e vômitos.

Deixe uma resposta

You May Also Like