Fatores de risco: genética e ambiente causadores de doenças

ilustração de um rosto rodeado por fatores de risco associados ao desenvolvimento de doenças

Você sabia que há doenças familiares por influência do ambiente e não da genética? Entenda o que são os fatores de risco e como conhecê-los pode ajudar a proteger a saúde de toda a família.

Na saúde e na doença

Recentemente, um estudo publicado no periódico científico Atherosclerosis avaliou a saúde de milhares de casais heterossexuais do Japão e da Holanda. Entre as conclusões, os pesquisadores verificaram que os cônjuges têm riscos similares de desenvolver doenças cardiovasculares. 

O estudo mostrou que homens e mulheres de um mesmo relacionamento tendem a ter taxas de colesterol e triglicerídeos parecidos, assim como a chance de desenvolver hipertensão e diabetes.

ilustração de um casal de mãos dadas que possuem fatores de risco semelhantes

Verificaram também a similaridade nos hábitos dos cônjuges, como quantidade de exercício físico, consumo de álcool e cigarro, e também de medidas antropométricas (como a circunferência abdominal, associada ao risco de doenças cardiovasculares).

Fatores de risco ambientais

Apesar do nome, os chamados fatores de risco ambientais são relativos não somente às condições ambientais propriamente ditas, mas também aos hábitos e estilo de vida  que aumentam o risco de desenvolver uma doença. 

Esses hábitos podem explicar por que os cônjuges têm riscos cardiometabólicos parecidos. Sabe-se que a alimentação e o exercício físico impactam taxas sanguíneas, como colesterol e triglicerídeos, e também no peso. Isoladamente ou em conjunto, esses fatores estão associados às doenças cardiovasculares.

Além de peso, tabagismo, consumo de álcool e dieta, outros exemplos de fatores de risco ambientais que aumentam o risco de doenças são a radiação solar, poluição, agentes químicos, infecções, medicamentos, etc.

Os casos de câncer de mama esporádicos, por exemplo, decorrem de mutações genéticas causadas por fatores ambientais. Fatores de risco para o câncer de mama incluem a utilização de hormônios durante a reposição hormonal e uso de anticoncepcionais, consumo de álcool e obesidade.

Há casos de câncer familiar, ou seja, que acometem diversos membros de uma família, mas com causas ambientais, e não genéticas. É o que ocorre com o câncer de estômago causado pela bactéria H. pylori. Ela ocorre quando não há correta manipulação e conservação de alimentos ou boas condições de higiene. 

Como a família compartilha as refeições e as condições sanitárias, a infecção acaba estando presente em diversos membros da família, assim como o risco de câncer de estômago.

ilustração de uma balança com fatores de risco ambientais de um lado e fatores de risco genéticos de outro

Fatores de risco genéticos

Mas doenças que estão na família podem também ser causadas por fatores genéticos hereditários, ou seja, que estão no DNA e são passados de uma geração para outra.

Esses fatores são as variações genéticas, diferenças encontradas no DNA das pessoas que aumentam o risco de desenvolver doenças. É importante lembrar que auando as mutações são hereditárias, elas podem estar presentes em diferentes membros da família, e por isso, o risco também é aumentado nessas pessoas.

Alterações nos genes BRCA1 e BRCA2, por exemplo, aumentam o risco do câncer de mama em mulheres de 7% para até 72%. Ou seja, 7 em cada 100 mulheres desenvolvem câncer de mama, mas entre as mulheres com uma mutação nesses genes, 72 a cada 100 terão a doença.

O câncer de estômago também possui fatores de risco genéticos hereditários: o gene CDH1, quando alterado, aumenta o risco de 1% para 56% em mulheres e 70% em homens. 

Conhecendo o próprio risco

Pessoas que possuem o risco aumentado de desenvolver uma doença têm a chance de ter um acompanhamento médico mais de perto, realizando exames preventivos mais cedo e mais frequentes do que o usual. 

ilustração de uma pessoa se consultando com um médico para conhecer os próprios fatores de risco e fazer as melhores escolhas para a saúde

Junto com o médico, podem também decidir por procedimentos e tratamentos que podem ajudar a diminuir a chance da doença aparecer. Para auxiliar nas decisões sobre os próximos passos para cuidar da saúde, o médico irá avaliar o conjunto de todos os fatores de risco (ambientais e genéticos) da pessoa.

O teste genético é uma ferramenta que analisa o DNA para verificar se há fatores genéticos hereditários que aumentam o risco de doenças. O teste permite conhecer o risco antes mesmo de apresentar qualquer sintoma, sendo útil para tomar as medidas que evitem o surgimento da doença. 

O meuDNA Saúde é o teste genético que lê os seus genes por completo. Ele identifica a predisposição genética de desenvolver colesterol alto, triglicerídeos altos, câncer de mama, câncer de estômago, entre outros tipos de câncer e doenças.

Conhecer o que o seu DNA diz pode ajudar a proteger o futuro da sua saúde e de toda a família!

Deixe uma resposta

You May Also Like