Tipos sanguíneos: A, B, AB, O e… Bombaim?

Imagem ilustrativa de gotas de sangue com crachás indicando qual o seu tipo sanguíneo, sendo que o sangue Bombaim tem um ponto de interrogação em seu crachá

Todos conhecemos os tipos sanguíneos do grupo ABO: A, B, AB e O, certo? No entanto, esses não são os únicos tipos sanguíneos existentes. Conheça mais sobre o fenótipo Bombaim, um tipo sanguíneo muito raro.

Como são definidos os tipos sanguíneos?

A maioria das pessoas conhece seu tipo sanguíneo e ele geralmente é um dos 4 comuns: A, B, AB ou O. Esses tipos sanguíneos são um reflexo das moléculas que estão presentes nas hemácias (células vermelhas), chamadas antígenos.

Para a produção dos antígenos são necessárias algumas proteínas importantes que são codificadas no nosso DNA por dois genes: o gene ABO e o gene FUT1. Essas proteínas modificam algumas cadeias de carboidratos que estão ligadas no exterior das hemácias para criar os antígenos.

A proteína ABO, como o nome sugere, é responsável pelas alterações finais dos antígenos A, B ou O. Mas para que isso possa ser feito, a cadeia de carboidratos precisa ser alterada pela proteína FUT1 primeiro. Essa modificação inicial feita pela FUT1 vai produzir o chamado antígeno H (responsável pelo sangue tipo O), que pode então ser modificado em A ou B pela proteína do gene ABO.

Ilustração de como os antígenos são produzidos nos diferentes tipos sanguíneos.

Quanto à proteína ABO temos então 3 opções: a proteína vai transformar o antígeno H em antígeno A ou B, ou não vai fazer nenhuma alteração, resultando em sangue tipo O.

Como recebemos uma cópia do gene ABO de cada um de nossos pais, existem algumas combinações possíveis para os tipos sanguíneos comuns: sangue tipo A, com duas cópias A ou uma cópia A e uma O; sangue tipo B, com duas cópias de B ou uma de B e outra de O; sangue tipo AB, com uma cópia de A e uma de B; e sangue tipo O, com duas cópias O.

Tipo sanguíneoABABO
GenótipoA/A ou A/OB/B ou B/OA/BO/O

Também recebemos duas cópias do gene FUT1, que tem duas formas: H e h. Pessoas com pelo menos uma cópia de H (HH e Hh) vão produzir esse antígeno normalmente na superfície das hemácias, mas quem tem duas cópias de h (hh) não consegue produzir esse antígeno e, consequentemente, nenhum dos dois outros, A e B.

Se o antígeno H é necessário para os tipos sanguíneos A, B e O, pessoas hh têm qual tipo sanguíneo?

Fenótipo Bombaim: raro e cobiçado

Pessoas com fenótipo Bombaim possuem um sangue chamado de “falso O”, pois não produzem nenhum dos antígenos que definem os tipos sanguíneos do grupo ABO, já que são hh no gene FUT1

Esse é um tipo sanguíneo muito raro: em populações europeias ele é visto em 1 pessoa a cada 1 milhão de habitantes. Em populações da Índia, onde o fenótipo foi descoberto, a prevalência é de 1 pessoa a cada 10 mil habitantes. Segundo a Secretaria de Saúde do Ceará existem somente 11 famílias com esse fenótipo no Brasil.

Por serem raras, pessoas com fenótipo Bombaim têm dificuldade de encontrar doadores de sangue compatíveis, pois elas só podem receber sangue de outros com fenótipo Bombaim.

Isso acontece por causa do mecanismo de defesa do nosso organismo que reage negativamente a corpos estranhos. Como as pessoas Bombaim não produzem os antígenos dos tipos sanguíneos ABO, seu organismo entende que as hemácias contendo antígenos A, B ou H são invasoras e devem ser destruídas, criando anticorpos contra elas.

Isso acontece com todos os tipos sanguíneos: pessoas de sangue tipo A só podem receber sangue tipo A ou tipo O; as de sangue B só recebem de doadores B ou O; as pessoas tipo AB são receptoras universais e podem receber de todos os outros tipos; já as de tipo O são doadoras universais, mas só recebem de outras pessoas tipo O.

Tabela mostrando os antígenos e anticorpos presentes em pessoas de diferentes tipos sanguíneos, incluindo o Baombaim.

Apesar do fenótipo Bombaim não causar nenhum problema de saúde, ele pode se tornar perigoso quando uma transfusão de sangue é necessária, já que muitas pessoas Bombaim não sabem que têm esse tipo sanguíneo.

Como saber seu tipo sanguíneo?

Na tipagem sanguínea o sangue é testado para verificar se possui anticorpos contra os antígenos A e B. Por isso, essa tipagem simples não identifica o fenótipo Bombaim, que costuma ser erroneamente classificado como O. Nesses testes também é verificado um outro tipo de antígeno, o fator Rh, que indica se o sangue é positivo ou negativo.Testes mais completos, capazes de identificar esse fenótipo raro, são realizados sempre que é feita uma doação de sangue ou em pacientes que precisam receber transfusões.

Bombaim e paternidade

A tipagem sanguínea ABO pode ser usada como um primeiro indício de falsa paternidade, mas às vezes causa confusão indevidamente. Como recebemos uma cópia do gene ABO da nossa mãe e outra do nosso pai, é esperado que o nosso tipo sanguíneo seja uma das possíveis combinações dos tipos sanguíneos deles.

No entanto, se o fenótipo Bombaim estiver presente, essa relação não é tão simples. Pessoas Bombaim aparentam ser tipo O, mas geneticamente falando podem ser A, B ou AB. Afinal, o Bombaim é um falso O.

Imagem ilustrativa mostrando como pais de tipo sanguíneo bombaim podem ter filhos com tipos sanguíneos que, aparentemente, não correspondem ao esperado.
Em famílias sem o fenótipo Bombaim (à esquerda) esperamos que os filhos tenham uma combinação dos tipos sanguíneos dos pais. Mas em famílias em que o fenótipo Bombaim está presente (à direita), o resultado é mais complicado: nesse exemplo, mesmo que a mãe aparente ser O, ela têm cópias do gene ABO que são capazes de produzir os antígenos A e B, que só não estão nas suas hemácias porque ela é hh para o gene FUT1. No entanto, seus filhos recebem uma cópia H de FUT1 do pai e, por isso, vão apresentar os antígenos em suas hemácias, resultando em sangues do tipo A e B, nesse caso.

É importante lembrar que somente testes genéticos de paternidade podem comprovar essa relação entre pais e filhos. A tipagem sanguínea é mais complexa do que imaginamos e não é um bom parâmetro para esse tipo de questionamento.

A genética tem um impacto grande em nossas características e quem somos. Os testes genéticos podem revelar muito sobre o que nos torna únicos, desde a história da nossa família e até sobre o nosso futuro. Com o meuDNA Premium você conhece os povos que compõem o seu DNA e também descobre se tem predisposição a desenvolver algumas doenças como colesterol alto e vários tipos de câncer.

meuDNA prêmium

Deixe uma resposta

You May Also Like